Probióticos do kefir e do iogurte como aliados da saúde

Probióticos são organismos vivos que trazem muitos benefícios à saúde. Equilibram a flora intestinal, controlam o colesterol e reduzem o risco de câncer.

Kefir e iogurte contêm o melhor dos
probióticos: os
lactobacilos vivos
que equilibram o funcionamento intestinal, impedem a multiplicação de bactérias nocivas, inibem a produção de toxinas, melhoram a digestão, fortalecem o sistema imunológico, além de prevenir o câncer de colón.

Uma dose diária de kefir ou iogurte é tudo de bom para nossa saúde.

Diferentemente do iogurte que é fermentado apenas por lactobacilos, o kefir é fermentado por mais de quarenta tipos diferentes de microorganismos em sua colônia, incluindo as leveduras (utilizadas na preparo de pão, cerveja, etc).

Os grãos de Kefir multiplicam-se conforme vão sendo cultivados, quanto maior a temperatura mais ativos ficam. São tradicionalmente doados e as orientações para seu cultivo são simples.

Pode ser misturado a frutas, mel e cereais e utilizado no preparo das receitas que tradicionalmente levam leite ou iogurte.

21 dezembro 2012

Sobremesa refrescante de Kefir e Morangos

Esta receita é resultado de uma serie de experiências na cozinha até encontrar o equilíbrio entre os ingredientes que meu paladar considerou perfeito.

Temos ingredientes extremamente saudáveis mas com um toque de sobremesa de confeitaria. Para deixar a receita bem apropriada ao gosto dos mais radicalmente saudáveis, basta retirar o creme de leite e o leite condensado e ajustar a gelatina para 6 gramas. Faço isso com maior frequência do que faço a receita original.

Pode ser, também, que você decida ajustar os ingredientes da receita original ao seu próprio paladar, porque não é uma sobremesa para apreciadores de doces bem doces. Eu, particularmente prefiro doces o menos doce possível, se é que um paradoxo desses é possível. Bem, creio que muitas pessoas compartilham comigo este gosto, por isso decidi compartilhar esta receita.


sobremesa-de-kefir-iogurt-morangos-gelatina.jpeg


Sobremesa Refrescante de Kefir ou Iogurte e Morangos

Ingredientes: 

400 gramas de kefir ou iogurte
5 folhas de gelatina ou 12 gramas de gelatina em pó vermelha (1 pacote)*
200 ml de creme de leite 
1 lata de leite condensado 
500 gramas de morangos frescos ou congelados
150 gramas de açúcar demerara (utilize 250 gramas se preferir mais doce)
Morangos frescos para decorar

Preparação: 

Prepare uma geleia com os morangos e o demerara, levando ao fogo baixo por cerca de 5 a 8 minutos depois de ferver. Enquanto isso, coloque as folhas de gelatina de molho em água fria filtrada por 5 minutos. Escorra bem as folhas de gelatina e junte ao morango ainda quente e mexa muito bem até as folhas ficarem bem dissolvidas (se utilizar a gelatina em pó hidrate com 125 ml de água por 5 minutos antes de misturar ao morango). 

No liquidificador, junte o leite condensado, o creme de leite, o kefir e bata um pouco, apenas pulsando, até homogeneizar os ingredientes. Acrescente a geleia com as folhas de gelatina já dissolvidas e pulse mais duas ou trés vezes.

Coloque este preparado num refratário ou em várias taças individuais e leve ao refrigerador por no mínimo 6 horas para solidificar. Decore com os morangos frescos antes de servir. Pronto! Uma sobremesa leve, refrescante e saborosa.

Esta receita  é um oferecimento de Bolos Decorados Dona Joaninha

*Qual a proporção entre a Gelatina em pó e a Gelatina em folha?

1 envelope (12g) de Gelatina em Pó equivale a 5 folhas de Gelatina em folhas 1 colher de chá de gelatina em pó equivale a 1 folha de gelatina.

 Informação tirada deste site aqui.

22 agosto 2008

Abóbora grelhada com molho de tahine e kefir


Abóbora, abobrinha, jerimum. Abóbora, de qualquer jeito, me fascina. É versátil e saborosa. Como até crua. Como tudo na culinária, tem seus segredinhos. Na hora da compra, escolha abóboras de casca firme, sem rachaduras ou partes moles. Aproveite as sementes de abóbora para servir como um gostoso aperitivo. Basta levá-las ao forno para tostarem e temperá-lasdepois com sal.

Descobri muitas receitas com esse fruto e vou disponibilizá-las aos poucos no Madame Tapioca
Essa, por levar iogurte ou kefir no molho, decidi publicar aqui.


Salada de abóbora assada com tahine



1 abóbora pescoço pequena,
1 colher (sopa) de azeite de oliva
sal e pimenta do reino moída na hora, para temperar
1/2 xícara (chá) de tahine
½ xícara de iogurte natural ou kefir
1 colher (chá) de cominho em pó (opcional)
1 dente de alho bem picadinho
suco de 1 limão grande
3 ½ xícaras de rúcula
1 punhado grande de salsinha – não use os cabinhos
1 colher (sopa) de sementes de gergelim preto
castanha de cajú torrada e salgada

Descasque a abóbora e corte-a em pedaços graúdos. Cortei em formato de meia lua. Regue com o azeite, tempere com sal e pimenta. Coloque os pedaços numa grelha e asse por 30 minutos, ou até que a abóbora fique macia. Deixe esfriar completamente.

Faça o molho: misture o tahine, o iogurte, o cominho, o alho e o suco de limão até obter uma pasta homogênea; tempere com sal a gosto. Se ficar muito espesso, acrescente um pouco de água filtrada (coloque de colher em colher) até obter um molho pastoso.


Misture a rúcula e a salsinha e coloque-as em uma tigela ou prato grande. Cubra com os pedaços de abóbora, acrescente uma colherada de molho e salpique com as sementes de gergelim e a salsinha picada. Como eu não tinha gergelim, usei castanha de caju para acompanhar. Sirva com a rúcula fresca lavada e esterilizada e regue com azeite de oliva extra virgem. Rend.: 4 porções

18 julho 2008

Sabor e aroma do capim-santo e limão










O capim-santo (ou capim-limão) tem folhas longas, com bordas cortantes e coloração verde clara.



Devido ao aroma, é muito confundido com a erva-cidreira (Melissa officinalis), embora em nada mais se pareça com esta planta.



Contém grandes quantidades de óleo essencial citral, responsável por muitas de suas utilizações aromáticas e medicinais.



Essa torta é deliciosamente perfumada. A união do capim-santo ao limão é uma combinação perfeita. Delicada e aromática, é também muito refrescante.



Utilize o limão siciliano se preferir menos acidez, mas o limão tahiti é mais marcante e aromático.



Torta de Limão e Capim-Santo


massa:
- 1 pacote de biscoito tipo maisena (200 g)
- 300 g de chocolate branco

recheio:
- 1 ½ envelope de gelatina em pó sem sabor incolor
- 6 folhas de capim-santo (capim-limão ou cidreira)
- suco de 3 limões
- raspas de 2 limões
- 1 ½ xícara (chá) de açúcar (240 g)
- 1 ½ embalagem de cream-cheese (225 g) ou o equivalente em creme de kefir
- 600 ml de kefir ou iogurte

decoração:
- 100 g de chocolate branco em raspas
- raspas de 1 limão


1. Massa: processe o biscoito até formar uma farofa bem fina. Derreta o chocolate branco, incorpore a farofa de biscoito e mexa até obter uma massa úmida. Com as pontas dos dedos, forre o fundo e as laterais de uma forma redonda de aro removível (23 cm de diâmetro), apertando bem. Reserve.

2. Recheio: hidrate a gelatina em 8 colheres (chá) de água e dissolva-a no banho-maria ou microondas (por 15 segundos, na potência máxima), tomando cuidado para não deixar ferver. Reserve. No liqüidificador, bata as folhas de capim-santo com o suco de limão e o açúcar por 2 minutos. Coe o líquido e transfira-o para uma tigela grande, acrescente o creme de kefir ou cream-cheese e misture bem até obter um creme liso. Adicione as raspas de limão, o kefir líquido ou iogurte e misture novamente. Incorpore a gelatina delicadamente. Despeje o recheio sobre a massa e leve a torta à geladeira até firmar (cerca de 1 hora e 30 minutos). Decore com as raspas de chocolate branco e de limão.


Sabores do Oriente Médio - Peixe Taratur









Neta de sírios e libaneses, frequento a cozinha desde pequena, ajudando minha avó a preparar verdadeiros banquetes para a família. E olha que não é família pequena, era regabofe para mais de 30 pessoas, com direito a mesa de tábuas sobre cavaletes de madeira e bancos imensos, para acomodar todo mundo. Banquetes barulhentos, de arrepiar os cabelos de gente refinada. Tudo sem a menor cerimônia. Puro deleite. E gula. Nossa, que delícia! Não dava nem para escolher que comidinha começar a comer, tamanha a fartura de opções e todas tentadoras, aromáticas, deliciosas. Precisava deixar espaço para provar de tudo um pouco, senão, no dia seguinte ficava só a saudade. Pena que essa geração de matriarcas e seus fogões incansáveis permaneçam apenas nas lembranças de uma infância moleca, feliz.



Mas, sorte a minha, que longe de querer ser chique e não saber nem fazer um cafezinho, me punha a trabalhar com minha avó na cozinha, enrolando charutos de folha de uva, moendo carne para o quibe, enchendo tripas de carneiro. Aliás, isso aterrorizava os que não eram de descendência árabe e, invariavelmente terminava em piadas e chacotas. Tinha sempre um engraçadinho chacoalhando uma tripa na cara horrorizada de um pobre mortal, pálido e sem graça. Mas era uma festa. E das boas. Barulhenta e interminável.



Esse peixe era parte integrante do saudoso regabofe. Uma delícia, exótico e saborosíssimo.









Peixe Taratur




1 namorado ou robalo inteiro limpo de cerca de 2 kg
sal e pimenta-do-reino a gosto
1 copo de coalhada fresca ou kefir
4 cebolas médias
1 xícara (chá) de azeite
1 dente de alho
2 limões
Molho Taratur:
1 xícara (chá) de tahine
2 dentes de alho espremidos na hora
sal a gosto
2 limões
nozes picadas
salsinha e cebolinha picadas (opcional)

Lavar o peixe, fazer cortes pouco profundos nas laterais de ambos os lados e regar com o suco de limão. Temperar com o sal, a pimenta e o alho socado. Coloque num saco plástico e dê um nó na ponta. Deixe marinar em geladeira por uma hora, massageando delicadamente de vez em quando. Escorrer todo o líquido e colocar numa assadeira. Cobrir com a coalhada ou kefir e levar ao forno médio durante 20/30 minutos. Fritar as cebolas cortadas em rodelas finas no azeite até dourar bem, ficar da cor de caramelo. Quando o peixe estiver assado, colocar cuidadosamente numa travessa. Espalhar a cebola frita sobre o peixe. Enfeitar com rodelas de limão. Servir com o molho Taratur ao lado do peixe. Salpique as nozes, a salsinha e a cebolinha picadas sobre o molho. Molho: Coloque o tahine numa tigela, junte o suco de limão e sal. Misturar bem, acrescentando água aos poucos para formar um molho encorpado. Não há uma medida precisa porque tudo irá depender do tamanho dos limões.




Receita exótica do Oriente



Para os dias de calor, nada melhor que esta salada de trigo saudável e refrescante. É deliciosa e nutritiva. Gosto de acrescentar tomates secos em conserva de azeite e não preciso de mais nada... só uma rede e uma tarde preguiçosa.





Trigo com Nozes


2 colheres (sopa) de azeite de oliva

2 xícaras (chá) de trigo em grão

1 xícara (chá) de nozes

sal e pimenta-do-reino a gosto

2 copos de coalhada fresca

1 maço de hortelã fresca

½ maço de salsinha

2 pepinos grandes

1 dente de alho


Deixar o trigo de molho em água filtrada por 20 minutos. Cozinhar até amaciar. Escorrer e esfriar. Picar as nozes, o pepino, o alho, a hortelã e a salsinha. Misturar estes ingredientes ao trigo e temperar com sal, pimenta, azeite e coalhada. Servir gelado.


O creme de kefir como substituto do cream cheese numa torta sensacional


O creme de kefir, ou coalhada seca de kefir, é um substituto perfeito para o cream cheese. Testei várias receitas e todas tiveram um ótimo resultado. O melhor de tudo é o custo, cai pela metade. Essa torta é invenção minha e é muito gostosa. Deliciem-se!


Torta de Creme de Kefir ou Cream Cheese com Chocolate

200 g de biscoitos tipo maisena

2 colheres (sopa) de chocolate em pó 32% ou 50%

1 colher (sopa) açúcar demerara
100 g de manteiga gelada
Recheio :
250 ml de kefir ou iogurte natural
200 g de cream cheese ou creme de kefir (veja coalhada seca de kefir)
5 colheres de (sopa) de açúcar

12 g de gelatina em pó sem sabor branca
5 colheres (sopa) de água para hidratar a gelatina

1 colher (chá) de essência de baunilha

Cobertura:
200 g de chocolate ao leite ou meio amargo
1 colher (sopa) de manteiga

1/2 xícara (chá) de creme de kefir
30 ml de licor creme de cacau ou conhaque

Geléia de frutas vermelhas ou framboesa para decorar


Massa: Processe os biscoitos, o chocolate em pó e o açúcar. Junte a manteiga e pulse até ficar uma farofa. Forre uma forma de aro removível e leve à geladeira. Hidrate a gelatina em água fria e reserve. Bata o creme de kefir (coalhada seca) até dobrar de volume, acrescente açúcar, kefir ou iogurte e a baunilha. Dissolva a gelatina em banho-maria ou no microondas. Junte ao creme branco e misture bem. Despeje sobre a massa reservada. Leve à geladeira por 1 hora. Prepare, então, a cobertura: derreta o chocolate e a manteiga em banho-maria ou microondas. Junte o creme de kefir e o licor ou conhaque, misture bem. Retire a torta da geladeira e despeje a cobertura ainda morna, quase fria, sobre o creme branco. Gelar por mais 3 horas antes de servir. Decore cada fatia com a geléia fresca, em temperatura ambiente, ou derreta-a com um pouquinho de água para ficar como uma compota e deixe esfriar antes de utilizar. Uiiiii.

06 julho 2008

Pavê Marfim de Chocolate Branco


Este pavê delicioso é uma receita da TV, desconheço a autoria, que adaptei para o uso de kefir. Quem saboreou esta tentação adorou. A utilização do kefir e da coalhada de kefir tornam o pavê delicado e muito mais saboroso. Substituí o creme de chantily de todas as minhas receitas por coalhada seca de kefir acrescida de açúcar e o resultado foi surpreendente. Nesta receita acrescentei frutas vermelhas, morangos frescos ou cereja em calda na decoração, mas é opcional. Framboesas frescas, que adoro, quando encontro uma bandejinha bem bonita.


Pavê marfim de chocolate branco

200 g de biscoitos tipo maisena
Creme Marfim:
400 g de chocolate branco ralado no ralo grosso
1 lata de creme de leite sem soro
3 gemas peneiradas
150 g de manteiga sem sal amolecida
50 g de açúcar de confeiteiro peneirado
1 colher (chá) rasa de essência de baunilha
125 ml de kefir ou iogurte natural
250 g de coalhada seca de kefir
2 colheres (sopa) de rum ou conhaque
2 colheres (sopa) de leite em pó integral
100 g de chocolate branco para decorar
frutas vermelhas para decorar e colocar no recheio

Derreta o chocolate e o creme de leite em banho-maria ou no microondas. Deixe na geladeira por 45 min. Bata na batedeira as gemas e a manteiga por cinco minutos. Acrescente, sem parar de bater, o açúcar e a baunilha até obter um creme liso e brilhante. Junte aos poucos o creme de chocolate, o kefir ou iogurte, a coalhada, o rum e o leite em pó e bata bem. Reserve. Montagem: Em uma taça grande, ou num refratário retangular médio forrado com filme plástico, espalhe 1/3 do creme marfim e sobre ele uma camada de biscoitos maisena. Repita o procedimento, finalizando com o creme. Deixe na geladeira por 12 horas. Desenforme e decore com raspas de chocolate branco e cerejas em calda ou morangos frescos. Sirva bem gelado.

23 junho 2008

Preparo do Kefir de leite

É muito simples e exige apenas os grãos de Kefir e leite em temperatura ambiente. O leite pode ser de vaca, cabra e até mesmo "leite de caixinha".

Não utilize utensílios metálicos no preparo, somente de vidro, madeira ou plástico. Costumo fazer 1 litro e deixar fermentar por 2 dias porque gosto da bebida suave, não muito ácida, mas é possível deixar por 3 dias. A temperatura ambiente influencia muito na fermentação e em dias mais frios, o leite demora mais para fermentar. Balanço delicadamente o pote e quando o kefir não se movimenta eu sei que está "no ponto".

Coloque o pote num local onde não incida a luz do sol; os grãos não resistem a temperaturas maiores que 45°C. Bom, tem também o problema das formigas e dos insetos. Para evitar que as formigas subam pelo pote e nadem no kefir, coloco um prato com água debaixo dele. E para evitar a entrada de insetos cubro com telinhas de tecido, daquelas usadas em jarras de água, bordadas, lindas, que eu mesma fiz (custou baratinho e me diverti com as missangas). O kefir precisa respirar, porisso não tampo o pote, só cubro.

Mas onde encontrar os grãos? Se conhecer alguém que cultive kefir em casa é só pedir. Os grãos crescem e se multiplicam rapidamente, principalmente no calor do nosso país e as pessoas estão sempre procurando a quem doá-los. Na internet existem pessoas que fazem doação, vale uma busca. Consegui os meus em uma semana enviando email para doadores neste site: http://pub41.bravenet.com/classified/show.php?usernum=3495229914. Há doadores de grãos em várias cidades do Brasil. Existe kefir de leite e kefir de água. Eu uso o de leite. Bem, assim que conseguir os grãos, aí vai o modo de cultivá-los e extrair esta bebida divina:


Kefir de Leite

1 colher (sopa) de grãos de Kefir
1/2 litro de leite
1 pote de vidro ou plástico com tampa
1 peneira grande de plástico

Lave o pote normalmente (não é necessário esterilizar), coloque os grãos de kefir e despeje o leite sobre eles. Coloque ao abrigo da luz e deixe em repouso por dois ou três dias (dependendo da temperatura ambiente). Quando o leite estiver coalhado, coe utilizando a peneira de plástico, batendo levemente nas bordas para escorrer todo o kefir e separá-lo dos grãos. Guarde o kefir na geladeira em pote hermeticamente fechado, por até 15 dias. Lave novamente o pote, coloque os grãos novamente sem lavá-los (não é necessário embora algumas pessoas recomendem enxaguar com água filtrada) e repita todo o processo novamente. Deixe os grãos sempre no leite para permanecerem sempre vivos e você terá kefir para o resto da vida.

Coalhada Seca, Cream cheese e Chanclich

Transformar o kefir num queijo semelhante ao chanclich, ou num substituto perfeito para o cream cheese, ou simplesmente comê-lo como coalhada seca, com um fio de azeite e folhas frescas de hortelã num pão árabe quentinho, é simples. Para ter essas delícias em casa sempre, sem gastar muito basta utilizar o método antigo, da minha avó, de tirar o soro do kefir (ou da coalhada). Ela costurava um saquinho de algodão de trama bem fechada (180 fios é melhor), na medida de 20cm de largura por 30 cm de altura e despejava a coalhada feita em casa dentro dele para drenar. Utilizo o mesmo sistema para drenar o kefir com excelentes resultados. Minha receita leva três litros, porque assim que é drenado, o volume diminui consideravelmente. E aqui em casa todos comem bem e sem culpa, afinal é um alimento saudável, mas sem exageros.

Ingredientes e Utensílios

  • 3 litros de Kefir (vá guardando na geladeira)

  • Pano branco de algodão ou linho para coar o Kefir (tipo pano de prato, mas novo - eu costuro em forma de saquinho de 30x20cm)

  • 1 escorredor de legumes (paguei 1 real nas lojas de 1,99)

  • 1 pote ou vasilha para pegar o soro (kefiraride - líquido amarelado precioso, não jogue fora, utilize para fazer pão).

Coalhada Seca: Forre o escorredor de legumes com o pano e despeje o kefir dentro dele. Cubra com uma tampa de plástico ou outro pano bem limpinho. Ou então, apoie o fundo do saquinho no escorredor, despeje o kefir dentro dele e amarre bem a borda. Coloque uma vasilha conveniente embaixo de pegar o Kefiraride (soro), mantendo o soro distante do kefir. Se não tiver o escorredor não tem importância. Amarre o saquinho numa colher de pau e coloque-a atravessada na borda de um caldeirão. Deixe drenar por 48h para obter uma coalhada seca cremosa ou um queijo muito parecido com o cream cheese (podendo substituí-lo com perfeição nas receitas). Em dias muito quentes, coloque na geladeira, senão deixe drenar em local fresco, sem sol. Quando estiver pronto, desamarre o saquinho, "vire-o do avesso" sobre um prato. Consuma com mel e raspas de limão siciliano sobre morangos frescos ou com geléia de frutas vermelhas. Com azeite e ervas aromáticas frescas ou secas num pão quentinho é demais.



Chanclich: Para fazer um queijinho parecido é só deixar o kefir drenando por 72 horas. Retire do saquinho e role sobre pimenta seca moída ou zattar. Aí é só comer com pão e azeite. Bom também para sanduíches de tomate, pepino, cebola e ervas ou a famosa salada árabe fatoush.

Kefir com frutas

Adoramos kefir com pedaços de frutas fresquinhas no café da manhã. É hábito adquirido e estabelecido. Morango, banana, mamão e manga, são combinações perfeitas, que equilibram o sabor levemente ácido da bebida e são aromáticas. Outras combinações deliciosas:

  • ameixa seca (deixe de molho em um pouco de água durante a noite)
  • pêssego em calda
  • geléia de frutas
  • abacaxi em pedaços puro ou na calda
  • doce de casca de mexerica ponkan
Incremente a gosto, com aveia, semente de linhaça, castanha do pará. São alimentos funcionais, preciosos para nosso organismo. E deliciosos também. Adoce a gosto, com mel, açúcar, adoçante, ou simplesmente curta seu kefir com a doçura natural da fruta.

É bom ter no freezer frutas vermelhas congeladas. Aí é fácil e prático. A gente junta o kefir e as frutas no liquidificador e bate. A quantidade fica a seu critério, ajuste a gosto.



Kefir com morangos frescos

600 gr de morangos frescos

4 colheres (sopa) cheias de açúcar ou a gosto

500 ml kefir

Pique os morangos e coloque numa vasilha. Salpique o açúcar sobre eles e deixe descansar por cerca de 2 horas ou até sorar. Coloque o kefir numa bela taça e cubra com os morangos e a caldinha que ele soltou. Delícia...

Kefir com doce de casca de mexerica ponkan

6 mexericas ponkan maduras, com gomos amassados e cascas cortadas em tirinhas
1 xícara (chá) de açúcar
kefir

Primeiro, ferva as cascas já lavadas e cortadas em tirinhas. Depois de cinco minutos, escorra e repita a operação. Aí coloque na panela a polpa da fruta amassada, sem sementes. Junte as tirinhas escorridas e o açúcar.Deixe ferver 10 minutos em fogo baixo ou até espessar um pouco a calda. Dica: A fruta vistosa, de um alaranjado vivo está mais saborosa e doce. Escolha as mais pesadas e firmes. Coloque o kefir em taças e cubra com o doce.